Foto cedida por Alessandro Abdala

domingo, 24 de março de 2013


45 Dias Movimentados - Parte III



A Ecoavis foi à Serra da Piedade, Município de Caeté no dia 16/02, e encontramos uns bichos muito legais. Um surucuá todo colorido nos divertiu bastante, negando-se a posar de frente. Alguns conseguiram foto dele assim, eu, só de lado e "dis costas". Ali também consegui mais um lifer, o arapaçu-verde, que sempre havia me enrolado, desta vez deu bobeira e consegui umas fotos meia-boca dele. 

As douradinhas são sempre um alegria. Vêm em bando, todas coloridas, chilreando e voando por todo canto.
E, de bônus, costumam trazer um monte de companheiros, formando animados bandos mistos.





















Logo no início o Pedersoli falou que achava ter escutado essa aí - cigarra-bambu.
Ela demorou, mas acabou dando o ar da graça, linda na sua simplicidade e modéstia.





















O carrapateiro parecia meio perdido no alto do morro, sem carrapatos.





















Olha o surucá aí. Esta foi a melhor foto que consegui dele, assim meio de perfil, meio de frente.
























Esse aí é o arapaçu-verde, o lifer que sempre me driblava. Essa foi a melhorzinha que consegui dele.
























Todo o lado oeste da montanha estava coberto com essas flores. Uma vista e tanto.
























O colibri deu um show. A cada 15 minutos vinha atras do néctar dessa flor. Parecia um reloginho.
























Um belo Tropidurus montanus, um calango que costa do alto dos morros, apareceu para mostrar seus tons de verde-água.































O tico-tico, ou jesus-meu-deus, é um dos donos da Serra; a gente quase tropeça neles. 
Este fez essa pose para mim, e eu agradeci.











Parque Burle Marx no Barreiro, em Belo Horizonte, 24/02. 
Um lugar especial. Desta vez fui com os amigos Eduardo Assis e Éverton. 
Sem avisar com antecedência, não tínhamos licença para entrar nas áreas mais reservadas do parque, mas mesmo assim conseguimos observar e fotografar passarinhos muito interessantes, com destaque para um pia-cobra alucinado que não parava de cantar e os fura-barreiras, de quem consegui finalmente umas fotos razoáveis. O cháu-baeta também estava lá, um jovem "virando" para a plumagem de adulto, e uma fêmea apareceram para nos saudar.


Logo na entrada do parque nos deparamos com uma alta árvore, cheia de galhos desfolhados, que parecia um ponto de parada obrigatório para todo mundo que passava por ali. Era uma amostra da riqueza de espécies do lugar.
Saíra-amarela, saí-azul, asa-branca, saíra-andorinha estão aí como amostra.
























Olha ele aí, em toda sua beleza. Nesse caso, nem tão belo assim, pois estava cheio de falhas nas penas. Mas...
























A fême, meio simplesinha, também apareceu, para mostrar que a família vai bem, obrigado.
























Ninguém dá muita bola para esses sabiás-barranqueiros, mas os acho um exemplo de beleza e elegância em vestes simples.
























Seu primo, o sabiá-laranjeira, famoso pelo canto maravilhoso, não deixa de ser também um exemplo de elegância.
























Esse martim-pescador-verde não teve sossego. Os suiriris lhe davam trabalho toda vez que voava para qualquer lugar. Acabou indo embora sem almoço.
























O pia-cobra doidão, que parecia ter tomado energético. Não parava de cantar, voando de um lado para outro, muito doido.
























A fêmea chegou para ver que é que estava acontecendo e não entendeu nada, mas fez poses maravilhosas.
























Esse bentevizinho-de-penacho-vermelho quase entrou no clima do pia-cobra, mas acabou desistindo.
























Deixei para o fim esta foto do fura-barreira, que não é um espetáculo, mas é a melhor que já consegui dele. Bicho muito legal, com uma vocalização que lembra galinha cacarejando.




Assim fechamos os 45 dias. Como se viu, muita coisa em um mês e meio.
Março é outra estória. Começou espetacularmente na Pampulha com o registro inédito do combatente, feito pelo Daniel Dias, que nos fez correr em peso para lá. O mês ainda não acabou e já teve muito mais coisas para mostrar. Vou contar assim que der.

6 comentários:

  1. Mais um post muito bacana, Daniel! A passarinhada em Caeté deve ter sido muito bacana, todo mundo só fez elogiar, e pelos bichos que você fotografou, posso imaginar. Já o tiê-sangue no Burle Max, já justifica a visita, e você ainda teve vários outros bônus, bom demais! Abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ricardo, a Serra da Piedade é sempre um acontecimento mesmo. Foi muito legal.
      O parque é surpreendente. Não esperávamos o fura-barreira, que apareceu e deu bastante mole.
      Pena você não poder ter comparecido.
      Obrigado pela visita e um abraço.

      Excluir
  2. Mais uma vez outra ótima sequência, Daniel! Parabéns por esse belo trabalho! Abraços, Pedersoli

    ResponderExcluir
  3. Maurício Tadeu Borela Espeschit27 de março de 2013 10:13

    Ótimas fotos, Dani!
    Fantástica a sua iniciativa de pegar passarinho com arapuca digital! rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Maurício.
      A vantagem de se usar essa arapuca é que eles ficam lá para outros os pegarem e até mesmo para a gente pegar de novo. E hoje, com a ajuda da rede, podemos compartilhar a beleza deles com os amigos.
      Abraços para todos.

      Excluir